Leia mais no Oficina da Net: Redirecionamento em JavaScript Periférico 304: um filme 100% rodado em Samambaia ~ Blog Samambaia DF

7 de dez de 2009

Periférico 304: um filme 100% rodado em Samambaia

O primeiro longa-metragem de Samambaia tem ares de superprodução. O cenário principal é o Centro de Ensino Médio 304 e a realidade dos alunos é o tema central.

O filme é costurado com dramas familiares. “Periférico 304” conta a história de Marília, estudante do ensino médio que se apaixona pelo assassino do irmão. Foi a estreia de Luana na telona. Um desafio para a atriz iniciante que nunca pensou em interpretar a protagonista de um filme.

“É difícil, já que a gente não tem conhecimento, não sabe como se posicionar diante da câmera, não sabe como agir. Foi bastante difícil”, admite a estudante Luana Vieira.

Michael foi o vilão da história. Ele é Silvio, um playboy do Plano Piloto que se aventura pelas ruas de Samambaia. O ator também é estudante de psicologia e a experiência no cinema o ajudou na vida profissional.

“Participar do filme me deu uma desenvoltura maior, na questão interpessoal. E no curso de psicologia, na verdade, você sempre está sempre se relacionando com as pessoas”, conta o estudante Michael Caeiro.

A maioria dos alunos que participou do filme já se formou. Mesmo assim, a turma de atores deixou uma semente plantada na escola. “No primeiro ano eles sempre chegam perguntando pelo filme e a gente diz que em breve vai estar no cinema. Eles ficam surpresos e pedem para participar do próximo”, conta a diretora do Centro de Ensino Médio 304, Fernanda Mateus.

Para participar do filme, os alunos e a comunidade fizeram testes e seis meses de oficina teatral. Foram cinco mil figurantes, três anos de produção e 22 horas de gravação até fechar com 1h43min de filme. O custo total? Foram R$ 25 mil.

“Tem que ter maquiador? Vamos aprender a maquiar. Tem que ter técnico? Vamos aprender a fazer técnica, a mexer com fio. E essa produção ficou preocupada com o bem-estar dos atores. Como ninguém recebeu, a gente tinha que pelo menos fazer um trabalho bem feito. Se é para fazer arte, vamos fazer uma arte muito bem feita aqui em Samambaia”, afirma o diretor de elenco Josuel Junior.

A ideia de produzir um filme foi para incluir a comunidade e os alunos no mundo da sétima arte. Maria Félix também participou do longa-metragem. Fez um papel pequeno, mas sonha ir longe. “Eu não vejo a hora de participar de um desses grandes filmes, chegando até aos Estados Unidos”, diz a atriz.

0 comentários:

Twitter Facebook YouTube Orkut