Leia mais no Oficina da Net: Redirecionamento em JavaScript Produtores rurais de Samambaia reclamam de contaminação do solo ~ Blog Samambaia DF

12 de fev de 2011

Produtores rurais de Samambaia reclamam de contaminação do solo

A área rural de Samambaia é região de produção de frutas, legumes e verduras, mas os 46 chacareiros da Colônia Agrícola Veredas, em Samambaia Sul, reclamam que as hortaliças estão sendo prejudicadas pela poluição. Um terreno a poucos metros das chácaras foi transformado em depósito de lixo e entulho.

Vale destacar que as nascentes do Córrego Veredas cortam a região. “O temor que nós temos é que isso vá se infiltrar no lençol freático e prejudicar a qualidade de todas as nascentes. Com a contaminação dessa água, o prejuízo não seria só para a gente, produtor, mas para toda população”, conta o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Samambaia, Benedito José Ribeiro.

Outra agressão ambiental que compromete a produção rural é a lagoa de resíduos da lavagem dos veículos que se criou na região. A sujeira sai da garagem da Viplan e é despejada por uma tubulação. Os chacareiros contam que a lagoa, que fica na beira da BR-060, está ali há mais de 15 anos.

A administração de Samambaia informou que vai fazer uma campanha de conscientização para que ninguém jogue lixo e entulho no local. Disse também que enviou ofícios para a Agência de Fiscalização e para o Instituto Brasília Ambiental (Ibram)sobre o despejo de resíduos da Viplan.

De acordo com a assessoria da Agefis, um fiscal vai analisar a lagoa de resíduos na segunda-feira. A assessoria da Viplan não retornou nossas ligações.

No SIA, agentes da polícia ambiental flagraram um caminhão que despejava óleo queimado em área pública. De acordo com testemunhas, o veículo foi deixado em um descampado há pelo menos uma semana. O sargento Menezes, da Polícia Ambiental, destaca que as chuvas facilitam a infiltração do óleo no solo, o que pode contaminar mananciais.

O motorista do caminhão foi localizado em casa. Ele passou mal e foi levado ao hospital. Ele vai responder por crime ambiental, com prisão de um a quatro anos e multa. 

Fonte: dftv.globo.com

0 comentários:

Twitter Facebook YouTube Orkut